Bruno Lenoir e Jean Diot

dezembro 22, 2017

Outro dia eu passei pela charmosa rue Montorgueil de dia e reparei em uma placa que nunca tinha notado. 


"No 4 de janeiro de 1750, na rua Montorgueil, entre a rua Saint-Sauveur e a antiga rua Beaurepaire, foram presos Bruno Lenoir e Jean Diot. Condenados por homosexualidade, eles foram queimados na praça da Greve (n.a.: atual praça do Hôtel de Ville) no dia 6 de julho de 1750. Foi a última execução por homossexualidade na França."

Fui pesquisar a história por trás desta placa e descobri que os dois homens eram trabalhadores pobres que foram flagrados por um policial "fazendo barulho" na madrugada do dia 4 de janeiro de 1750. A história toda por trás da prisão de ambos me pareceu bem mal contada - com depoimentos contraditórios e sem muitas bases legais-, e o processo que levou à condenação de morte dos dois não pareceu levar em conta a palavra das vítimas. A impressão, segundo cronistas da época, era que o sistema penal queria dar um exemplo à população e escolheu os dois trabalhadores como bodes expiatórios.

Em 1791, com o novo código penal, o "crime de sodomia" foi descriminalizado, mas foi somente em 1982 que a França protegeu legalmente os homossexuais contra crimes de preconceito. A placa da rue Montorgueil foi inaugurada em outubro de 2014 pela prefeita Anne Hidalgo.

Posts relacionados

0 comentários