sexta-feira, 31 de maio de 2013

Próxima parada: Serge Gainsbourg

Publicado hoje n'O Globo.




Em 1958, o então jovem Serge Gainsbourg lançou a música Le poinçonneur de Lilas, que se transformaria no seu primeiro grande hit e daria começo a uma carreira brilhante de projeção internacional. A canção fala do cotidiano de um homem que trabalha como perfurador de bilhetes em Lilas, um subúrbio de Paris. Na época, a profissão era muito comum, pois não existiam roletas eletrônicas e eram necessários empregar pessoas para fazer o controle de ticket dos passageiros na entrada das estações.

Acontece que o prefeito de Lilas, aparentemente, é um grande fã de Gainsbourg e fez tudo o que podia e conseguiu o que queria: homenagear seu ídolo e batizar uma nova estação da linha 11 (que, justamente, é a que passa por Lilas) com o nome do grande compositor francês morto em 1991. A parada Lilas-Serge Gainsbourg tem previsão de abertura para 2019 e faz parte do enorme projeto de expansão do metrô parisiense que terminará em 2030.

A ex-mulher do polêmico cantor, Jane Birkin, já deu autorização para o uso do nome e sugeriu que fosse construída uma estátua dele no local. Com isso, Gainsbourg fará parte do seleto time de personalidades que dão nomes a estações em Paris, sendo o primeiro músico a receber tal honraria.



Le poinçonneur des Lilas 1959

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Roland Garros no Hôtel de Ville

Publicado hoje, n'O Globo.



Mais uma vez, o Hôtel de Ville vai se disfarçar de quadra de tênis para projetar os jogos de Roland Garros. Aqueles que não conseguiram um ingresso no disputado mundial poderão assistir às partidas do conforto de uma cadeira colocada no centro de Paris, com direito a uma tela de 65 metros quadrados, o belíssimo prédio da prefeitura ao lado e o rio Sena bem ali na frente.

A edição deste ano, além de promover jogos para os amadores e outras atividades habituais, será palco do campeonato Longines Future Tennis Aces, que visa reconhecer jovens talentos do esporte trazendo adolescentes prodígios de todo o mundo para uma disputa. O torneio dos pequenos notáveis começa hoje e termina sábado, quando será realizada a final, e pode ser visto gratuitamente.

As projeções de Roland Garros vão até 09 de junho e o espaço em frente à prefeitura fica ocupado durante todo este tempo. Se fizer sol e o clima estiver quente (nunca perco a esperança!), dá até pra levar aqueles macarons em forma de bola de tênis para aproveitar melhor os jogos!

La Terrasse de Roland Garros
29 Rue de Rivoli
75004 Paris
De 30 maio a 9 de junho, de 12h00 às 19h00
Entrada gratuita

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Bicicletada retrô

Publicado hoje, n'O Globo.




A foto acima poderia muito bem ter sido tirada nos meados da década de 30, mas, na verdade, ela é de 2012 e foi clicada durante o evento que acontecerá no próximo fim de semana, aqui na Cidade-Luz. Trata-se de um passeio de bicicleta vintage, onde os organizadores convidam as pessoas a tirarem as suas bicicletas antigas (antigas mesmo! daquelas que são objetos de coleção) de casa e se vestirem com roupas típicas da época entre as duas guerras mundiais. Boinas, bigodes, suspensórios, saias depois do joelho e batons vermelhos são itens essenciais para quem quiser fazer parte da pedalada.

A bicicletada, chamada de Beret Baguette reunirá os charmosos ciclistas na Place de la Sorbonne, no quinto arrondissement, para um passeio de 10 quilômetros que acabará em um piquenique no parque. O evento conta, ainda, com o sorteio de uma bicicleta e um "concurso de elegância" onde o melhor figurino será escolhido entre os participantes. Quem não tiver uma bike antiga também é convidado, mas tem que caprichar no visual retrô para compensar e é aconselhável decorar a bicicleta nova com acessórios vintage.

O passeio está marcado para o domingo, às 10 da manhã, e os participantes começarão a pedalar às 11h. Confira abaixo o vídeo da edição de 2012 e clique aqui para ver a galeria de fotos dos anos anteriores.


Béret Baguette 2012 from Benjamin Donadieu

Béret Baguette
Place de la Sorbonne
Domingo, dia 02, às 10h

terça-feira, 28 de maio de 2013

A Paris de Cartier

Publicado hoje n'O Globo.




A partir do dia primeiro de junho estará nas lojas da chiquérrima Cartier uma coleção completa que homenageia Paris e as mulheres que moram aqui. A enorme coleção conta com sete linhas trazendo sete estereótipos diferentes de mulheres parisienses e homenageando sete grandes pontos arquitetônicos da Cidade-Luz. Batizada de "Paris Nouvelle Vague", a linha está causando muito burburinho, já que é muito raro a loja lançar uma coleção tão extensa.

Com homenagens a lugares que vão do Grand Palais passando pelo Trocadéro até o Jardin de Tuileries, a coleção explora diversos arquétipos femininos encontrados na Cidade-Luz e celebra a beleza de cada estilo de mulher através de colares e brincos adaptados a cada gosto e visão do mundo e de Paris.

E já que o assunto é Cartier, aproveito para postar aqui um filme lançado no ano passado para comemorar a história da marca e recria-la través de uma pantera, animal símbolo da tradicional joalheria. O curta, entitulado L'Odyssée de Cartier é cheio de efeitos visuais maravilhosos e ainda faz uma belíssima homenagem a Santos Dumont, que é creditado por ter inventado o relógio de pulso em parceria com Louis Cartier, de quem era amigo próximo. O vídeo é todo muito, muito bonito.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Fim de semana nerd

Publicado hoje, n'O Globo. 

Acontecerá em Paris, entre os dias 7 e 9 de junho, um fim de semana um tanto quanto nerd: o chamado Startup Weekend. Com apoio de empresas como  a Google e Coca-Cola, o evento já rodou o mundo e chega agora em Paris, preservando a sua filosofia de dar direito a qualquer pessoa ter uma chance de mostrar a sua ideia e tentar, a partir daí, criar uma estratégia empresarial em 54 horas.

Segundo o Jornal des Grandes Écoles, Paris é a capital européia das startups, superando Londres, Berlim e Munique. Para quem não sabe, uma startup é uma empresa que parte de um plano de negócios pronto para um crescimento rápido em pouco espaço de tempo. Na última década, com o avanço do comércio na internet, vimos muitas startups serem bem sucedidas, como empresas de aplicativos para telefones (como o ótimo App Grátis, que, por sinal, é francês), sites de trocas de arquivos e sites de vendas coletivas. Tudo isso são exemplos de startups.



Atualmente, segundo a publicação francesa, existem 3 mil startups ativas em Paris e mais 300 projetos em fase de desenvolvimento. Além disso, a taxa de sobrevivência de uma empresa com 10 anos de atividade na Cidade Luz é de 80%. O evento Startup Weekend ainda tem vagas abertas para desenvolvedores e designers.

domingo, 26 de maio de 2013

Um drive-in dentro do museu

Publicado hoje, n'O Globo.



Quem nunca assistiu filmes americanos da década de 60 e ficou morrendo de vontade de ir a um dos simpáticos drive-ins de época? Pois o grupo de cinemas MK2, em parceria com o Grand Palais, parece que leu os meus pensamentos e decidiu transformar um dos meus sonhos de infância em realidade: o grupo vai promover o "Cinema Paradiso", um evento que tem um conceito simplesmente sensacional. Trata-se de um drive-in instalado nos 12 mil metros quadrados do famoso espaço La Nef, que fica dentro do museu, lotado de vários exemplares do mais do que simpático Fiat 500, o modelo original do Cinquecento.

A programação, que vai do dia 10 ao 21 de junho, contará com projeções de clássicos como "Grease: nos tempos da Brilhantina", "O grande Lebowski", "Star Trek", "Psicose", "E.T.", "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa", enfim, a lista é enorme. E, se você não gostar de assistir filmes de dentro de um carro, é possível também aproveitar a tela de projeção de 25 metros direto de cadeiras de cinema, com almofadas e conforto (mas, claro, os assentos dos Fiat 500 são muito mais charmosos!).

Além do inusitado drive-in, o evento promoverá também atrações diversas, como uma exposição mostrando a história dos jogos de videogame, apresentações de DJs e um restaurante com comidas típicas da época de ouro dos drive-ins americanos, como cheeseburgers e batata frita, ovos com bacon e pudins de chocolate. Só tenho uma palavra pra expressar o que eu senti quando fiquei sabendo deste evento: im-per-dí-vel!



Grand Palais
1 Avenue du Général Eisenhower
75008 Paris, France ‎
+33 1 44 13 17 17
Do dia 10 a 21 de junho
Reservas pelo site da Fnac

sábado, 25 de maio de 2013

Lobster Bar

Publicado hoje, n'O Globo.




Se você, como eu, adora um lobster roll, a dica de hoje vai te deixar muito feliz. Localizado em uma pequena rua no primeiro arrondissement de Paris, o Lobster Bar abriu as suas portas há um mês e meio e, desde então, causa burburinho pela cidade. Auto-proclamado como o primeiro especializado em lagosta de Paris, o endereço, que fica perto do Louvre, esbanja charme e simpatia, com uma decoração simpática que faz a gente acreditar que está em um navio (muito chique) em alto mar.

O dono do restaurante e do conceito, Mathieu Mercier, é um francês sorridente e bem humorado (isto existe, eu juro!) que se apaixonou pelo lobster roll quando tinha 14 anos, durante uma viagem ao Maine, nos Estados Unidos. Este ano, ele decidiu fazer uma pausa na sua carreira de roteirista de série de televisão para se dedicar à paixão pelas lagostas , "eu pensei: é agora ou nunca", conta Mathieu sobre o momento em que decidiu ir atrás do seu sonho de infância.



O espaço é pequeno, mas não faltou cuidado na seleção do mobiliário e no cuidado com a ambiência. Os assentos são peças únicas que vêm de grandes navios e as chamosíssimas luminárias ao lado das mesas pertenceram ao  famoso "Le France", um transatlântico gigantesco que, durante quase 15 anos, fez o trajeto Paris-NY entre as décadas de 60 e 70. O lugar fica aberto de terça a sábado, para o almoço e o jantar. Vale uma visita!

Lobster Bar
41 Rue Coquillière
75001 Paris

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Loja de capas de celular

Publicado hoje, n'O Globo.




Já que ontem o assunto foi o delicioso restaurante L'As du Fallafel, no Marais, hoje a dica é uma loja que fica bem pertinho do endereço da gostosura árabe/hebraica. Logo em frente, quase. Trata-se de uma rede de lojas francesa especializada em capas para celulares.

Com toda as cores possíveis, texturas, estampas e até bandeiras de países do mundo inteiro (tem do Brasil, é claro), as prateleiras de capas para iPhone fazem qualquer um ficar completamente perdido sem saber qual escolher. O lugar é simplesmente um oasis de proteções para smarphones e tablets. Na My eCase, encontra-se capas de tudo quanto é jeito, desde as mais discretas até as mais espalhafatosas, com decorações de docinhos, ursinhos, ou capas cheias de spikes, para os mais modernos. Os preços variam entre 15 e 40 euros.

My eCase
25 rue des Ecouffes
75004 Paris
+33 1 42 78 20 47

quinta-feira, 23 de maio de 2013

O melhor falafel de Paris

Publicado hoje, n'O Globo.




Se você é fã dos falafels, pequenas bolinhas fritas feitas à base de grão-de-bico e favas, você precisa conhecer o L'As du Fallafel. O lugar é uma pequena portinha no Marais (perto da estação de Saint-Paul) que simplesmente lota todos os dias pela sua fama de melhor falafel de Paris. Fechado aos sábados, por causa da tradição hebraica, o L'As du Fallafel é um sucesso absoluto entre os parisienses e as filas chegam a dobrar o quarteirão na hora do almoço e aos domingos, mas, no final, a espera em pé, vale a pena. Mesmo que esteja chovendo!

O quitute, que vem enrolado em um guardanapo amarelo, é uma refeição tão completa que, no final, mesmo os mais carnívoros (que é o meu caso) não sentem falta de carne nesta gostosura vegetariana.  O endereço do Marais já foi descrito pelo NY Times como um destino culinário imperdível em Paris. Hoje em dia, o bem servido sanduíche custa € 5,50 e, além de custar mais barato do que um lanche no McDonalds, é uma opção muito mais saudável.

Hoje em dia, por causa da enorme popularidade do restaurante, surgiram, em volta dele, várias concorrências ao redor para roubar a clientela que não tem paciência de esperar nas filas enormes, por isso, na fachada, o L'As du Fallafel colocou uma placa bem humorada: "Toujours imité jamais égalé" (sempre imitado, jamais igualado).

L'As Du Fallafel
34 Rue des Rosiers
75004 Paris
Aberto todos os dias (exceto sábado), de 11h à meia-noite.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Adote um Cara

Publicado hoje, n'O Globo.



Uma das primeiras coisas que me chamou a atenção quando cheguei em Paris foi a enorme quantidade de anúncios de sites de encontros que eu via no metrô. É bem verdade que a Cidade-Luz, por mais romântica que seja, é um lugar com muitos solteiros. As estatísticas mostram, segundo o delicioso site Merci Alfred, que, aqui, uma mulher em cada duas é solteira.

A variedade destes sites é enorme: tem para os jovens, tem para os mais velhos, tem para os modernos, tem para os nerds, e tem até para gente casada que quer dar uma pulada de cerca sem ter que passar pela indiscrição de sair em público para procurar. Um dos mais descolados deles, o Adopte un Mec, se destaca pelo humor e pela grande sacada dos criadores: ali, quem manda são as mulheres. Os homens são chamados de produtos e cabem às moças colocarem os mais interessantes em seus carrinhos de compras. Ao passo que as mulheres tem liberdade de fazer tudo o que querem, conversar com quem quiserem e colocar qualquer homem nos seus carrinhos, os rapazes tem limitações: não podem falar as moças sem elas terem autorizado e podem ser bloqueados e banidos simplesmente pelo fato de terem sido desagradáveis com alguém.

A novidade é que esta fórmula, que faz tanto sucesso aqui e já até abriu uma loja física situada no Forum des Halles, vai chegar em breve ao Brasil e já tem site próprio com a tradução literal do nome: Adote um Cara. Se eles seguirem o mesmo mantra francês "Le concept d'adopteunmec.com est simple. Le client est roi et, en l'occurrence, il est reine." (tradução livre: "O conceito do adopteunmec.com é simples. O cliente é rei e, no caso, é rainha." aposto que as brasileiras vão gostar!

terça-feira, 21 de maio de 2013

Mercados em festa!

Publicado hoje, n'O Globo.



Quem já caminhou por Paris e já passou um tempo na Cidade-Luz sabe muito bem: aqui tem mercados e feiras espalhados pela cidade toda. Na verdade, a quantidade é realmente impressionante: segundo o site da prefeitura, somente dentro do contorno da cidade, são 71 mercados a céu aberto e 11 mercados fechados (clicando aqui, você pode ter uma lista com todos os mercados e informações práticas).

Como a minha mãe sempre me falou que a gente só conhece realmente uma cidade e uma cultura quando visita o mercado local, eu sempre fiz questão de visitar estes lugares e, semana que vem, terei um motivo a mais para fazer isso: a festa dos mercados. Este ano, a edição está mais enxuta e a comemoração acontecerá em apenas dois mercados de Paris, mas, ainda assim, promete ser animada. Trazendo um conceito de economizar alimentos e não jogar fora as comidas que podem ser aproveitadas, o evento trará a Disco Soupe, uma festa que tem como objetivo diminuir o desperdício de frutas e vegetais.

A idéia é simples: um grupo de pessoas se reune munidos de alimentos que, normalmente, seriam jogados fora e fazem saladas e sopas ao som de um DJ ou uma banda. No final, eles distribuem os pratos que foram produzidos a preços bem abaixo normal. Um belo esforço para conscientizar as pessoas dos desperdícios que acontecem todos os dias em mercados ao redor do mundo.


DISCO SOUPE on Vimeo.

Sexta, 31 de maio, a partir das 18h
Marché Bourse
Place de la Bourse
75002 Paris

Domingo, 02 de junho, a partir das 11h
Marché Richard Lenoir
Place de la Bastille
75004 Paris

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Metrô no Twitter

Publicado hoje, n'O Globo.




No final de setembro do ano passado, a RATP (órgão responsável por cuidar dos metrôs, trens e ônibus de Paris e arredores) começou a criar contas de Twitter para algumas linhas de metrô da cidade com o objetivo de informar os usuários, em tempo real, sobre as obstruções, obras e eventuais acidentes nas redes subterrâneas, prevenindo os passageiros de ter surpresas no caminho.

O projeto foi um sucesso e, desde o final do mês passado, todas as linhas já possuem uma conta no Twitter. Eu mesma, antes de sair de casa, sempre dou uma olhadinha no twitter da linha 3, a mais perto da minha casa, para ver se vou ter problemas de locomoção. O serviço funciona muito bem e recomendo estes canais de comunicação mesmo para os turistas que começar a chegar agora para as férias de verão.

Recomendo também que vocês visitem a estação da linha 11 em Arts et Métiers, mostrada na foto acima. Na minha opinião, é uma das estações mais bonitas da Cidade-Luz, e a impressão que dá, ao entrar lá, é que estamos mergulhando em um livro do Júlio Verne. É impressionante de bonito.
Seguem abaixo as listas das principais linhas e suas respectivas contas no Twitter.

Linha 01
Linha 02
Linha 03
Linha 04
Linha 05
Linha 06
Linha 07
Linha 08
Linha 09
Linha 10
Linha 11
Linha 12
Linha 13
Linha 14

domingo, 19 de maio de 2013

Uma delícia de evento

Publicado hoje, n'O Globo.


Do dia 22 ao 24 de maio, bistrôs e restaurantes espalhados por Paris participam de um evento mais do que simpático, o Les Heures Heureuses (em tradução livre: "Horas Felizes"). Trata-se de uma folia gastronômica que convida os participantes, munidos de seus passaportes, a fazerem passeios ao redor de Paris, entre 17h30 e 21h30 (o horário do Happy Hour, é claro), degustando as delícias propostas por cada estabelecimento participante. E, melhor ainda, pagando apenas 2 euros por elas.



No site do evento são propostos, ao todo, 12 passeios pelos bairros de Paris e a idéia é que cada restaurante ofereça um tira-gosto diferente e que o clientes possam ir pulando de um lugar para o outro provando as pequenas porções ao longo da noite. No menu, estão estabelecimentos que servem todos os tipos de comida de diversos lugares do mundo, e cabe a quem tem o passaporte para esta festa gastronômica escolher o que quer degustar. Mas atenção: para participar e pagar somente 2 euros nos acepipes do Les Heures Heureuses, é obrigatória a apresentação do passaporte! Ele pode (ou podia, já que o evento é concorridíssimo!) ser encontrado gratuitamente no Hôtel de Ville e nas prefeituras de cada arrondissement.



Les Heures Heureuses de Paris, du 22 au 24 mai par mairiedeparis

sábado, 18 de maio de 2013

O imortal Charles Trenet

Não me canso de dizer que, se a chanson française tem um pai, ele certamente é Charles Trenet. Este francês simpático (e um tanto quanto polêmico para a sua época) completaria 100 anos de idade hoje fica até difícil fazer uma homenagem à altura, já que ele é simplesmente o responsável por algumas das músicas mais bonitas na França no último século.

Costumo responder, quando me perguntam o porquê de ter me mudado para Paris, que a culpa tem dois nomes: Hemingway (por causa do seu livro "Paris é uma festa") e Charles Trenet, por ter composto canções que milhões de vezes me fizeram sonhar com uma vida em Paris quando eu ainda era adolescente morando na casa da minha mãe.

Bom, como sou incapaz de falar por mim mesma o valor de Trenet para a música francesa, deixo o próprio cantar e explicar para vocês o gênio musical que foi, em uma seleção das minhas canções favoritas que foram imortalizadas por ele.

















Trenet em Inglês e Português













A exposição

Copio e colo aqui o post que escrevi sobre a exposição "Le Fou Chantant" para o blog do Globo, que faz uma retrospectiva da carreira e homenageia a obra de Trenet e está aberta até o dia 30 de junho, em Paris.

Ir a Paris e ver uma boa exposição sempre faz parte do roteiro de visitas. Se você já conhece os tradicionais, a hora é de partir para as exibiciões menos óbvios, mas nem por isso menos interessantes. Uma dica impredível para quem vem por agora é a exposição que comemora o centenário do mestre da música francesa, Charles Trenet. Apadrinhada por ninguém menos que Charles Aznavour, a mostra faz um panorama da tragetória de vida de Trenet através de suas músicas e de sua poesia. O grande compositor é responsável por músicas imortais, como Que reste-t-il de nos amours (conhecida pelos americanos como I wish you love), La Mer (também reprisada pelos americanos e chamada de "Beyond the sea", em inglês) e Douce France.

Galerie des bibliothèques
22 rue Malher
75004 Paris
De 11 de abril a 30 de junho

O lado feio do tapete vermelho

Publicado hoje, n'O Globo.



As origens do famoso tapete vermelho remontam desde a época da Grécia antiga e os historiadores não sabem precisar exatamente quando começou a tradição. É certo, no entanto, que hoje em dia não há festival ou comemoração de luxo que se preze que não conte com a perpetuação deste curioso hábito milenar. Naturalmente, Cannes, um dos maiores festivais de cinema do mundo, obedece a tradição grega e estira, diariamente, 3 tapetes vermelhos ao longo dos 10 dias de festival.

Martin Esposito é um francês de 36 anos que passou a sua adolescência atrás de ondas para fazer windsurf e, sempre em contato íntimo com a natureza, acabou virando um ativista ecológico. Com família na Côte d'Azur, em 2008 decidiu começar a fazer um documentário sobre os lixões que via em torno da sua região, considerada uma das mais belas da França. Foi aí que, um dia, Martin viu um caminhão chegar com quilômetros de tecido vermelho e logo se deu conta de que se tratava do tapete onde as estrelas cinematográficas caminham diariamente em direção a projeções e premiações.

Deste contato, surgiu o filme "Super Trash", que acabou inspirando entidades de apoio ao meio-ambiente a fazerem uma petição online sugerindo que, em Cannes, se trocasse o tapete vermelho uma vez ao dia, em vez de 3, economizando, assim, cerca de 12 quilômetros de tecido que, invariavelmente, serviriam para que as estrelas caminhassem por algumas horas e depois para entupir rios e matar vida durante anos. Uma vez por dia me parece uma concessão bem razoável, não é?

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Exposição Le Chat Noir

Publicado hoje, n'O Globo.


O cabaré Le Chat Noir, fundado em 1881, em Montmartre, foi um dos primeiros lugares em Paris a ser considerado um antro da vanguarda artística da Belle Époque. Com atrações literárias, musicais e artísticas em sua agenda, o endereço trazia uma atração nova todos os dias e foi sucesso imediato no final do século passado entre a boemia artística da cidade. Gente como o grande pianista Claude Debussy já tocou nos palcos deste prestigiado cabaré, que era frequentado por grandes nomes da época, como Paul Verlaine, Edouard Vuillard e Toulouse-Lautrec.

O Musée de Montmartre abriu, ano passado, uma exposição em torno deste universo do Le Chat Noir e teve tanto sucesso que acabou sendo prorrogada para uma temporada maior, que vai até o dia 02 de junho. Além de mostrar quadros de grandes artistas, como Manet e Toulouse-Lautrec, a exposição apresenta cartazes e desenhos e ilustrações feitas para jornais da época, tudo inspirado pelo famoso lugar. O museu fica no alto de Montmartre e tem uma vista linda da cidade, além de um jardim de dar inveja a qualquer parisiense. Vale a visita!

Musée de Montmartre
12-14 Rue Cortot
75018 Paris
+33 1 49 25 89 37

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Comendo coxinha em Paris

Publicado hoje, n'O Globo.




É indiscutível que a culinária francesa é incrivelmente criativa e tem uma qualidade altíssima. E também é indiscutível que, aqui em Paris, pode-se comer muito bem a preços bem mais baixos que no Brasil, por exemplo, e que mesmo os produtos que se encontram aqui no supermercado são muito variados, com uma riqueza de diversidade ao alcance da mão. Só que, de vez em quando, bate uma vontade de comer coisas um tanto quanto impossíveis, como...uma coxinha!



Eu sei que a maioria de vocês, que mora no Brasil, não tem lá muito interesse em vir a Paris para comer este tipo de coisa, mas a dica de hoje vai para quem mora aqui e, de vez em quando, se pega saudoso de ir a uma boa lanchonete comer um pastel frito, um kibe ou uma coxinha feita na hora. É o caso do espaço da Rose de Belém, uma simpática paraense que mora aqui há 23 anos. Localizado no charmoso mercado Saint Quentin, perto da Gare de l'Est, a lanchonete "Alegria Brasil" existe há mais de 3 anos e serve feijoada, moqueca e, claro, uma boa caipirinha.



Cheia de sorrisos e de uma gentileza infinita, Rose recebe todo mundo que chega com um grande sorriso e nota-se que ela espera os clientes novos falarem um "oi" bem brasileiro para ela já começar a falar português. O espaço dela é o lugar mais genuinamente tupiniquim em Paris que eu já fui até hoje. Enquanto eu provava uma de suas famosas coxinhas (semana passada, saiu em uma matéria do Le Monde falando nelas), Rose, da sua pequena cozinha, já anunciava a todos os clientes que estava "passando um cafezinho" e me avisava gentilmente: "se você quiser, a gente tem Guaraná, viu?".

A sensação é de que, em alguns instantes, eu fui teletransportada para um mercado central de uma cidade do nosso país e, saindo de lá, foi até engraçado voltar para o mundo parisiense e me lembrar que eu não estava, de fato, em uma esquina qualquer em Belo Horizonte. A coxinha, na lanchonete da Rose, custa 3 euros, mas a sensação que ela proporciona de estar de volta em casa por uma meia hora, simplesmente não tem preço.

Alegria Brasil
85 Bis Boulevard de Magenta
75010 Paris
+33 9 75 41 70 24

quarta-feira, 15 de maio de 2013

O melhor hambúrguer de Paris

Publicado hoje, n'O Globo.



A hamburgueria Big Fernand abriu, em janeiro de 2012, acompanhando uma tendência que já se apontava em Paris: a moda do hambúrguer. Comandado por 3 irmãos, o lugar logo se transformou em sucesso e, como tudo que é bom na Cidade-Luz, logo já contava com filas diárias de clientes curiosos para degustar as delícias da pequena loja no nono arrondissement.

Toda a atmosfera do lugar instiga o cliente a colocar um sorriso no rosto. Desde vocabulário específico usado lá até os curiosos bigodes dos atendentes - que, segundo Alex, um dos sócios, foi adotado para criar rapidamente um ambiente descontraído. Aliás, rapidez é uma palavra de ouro. Com uma média de 400 clientes por noite, o hambúrguer é servido em uma bancada, sem garçons que vão à mesa, e a meta exigida pelos donos é que ele fique pronto em 40 segundos. Mesmo assim, o serviço é incrivelmente simpático e descontraído, com funcionários alegres (coisa mais do que rara  em Paris!) e que fazem piada o tempo todo.



Agora, em 2013, o negócio já deu tão certo que os sócios têm planos mais ambiciosos. Além do Little Fernand, que fica ao lado do seu irmão mais velho e é especializado em cachorro-quente, eles já estão prontos para abrirem as portas no segundo arrondissement de Paris e uma franquia em Lyon. Além disso, uma boulangerie da marca está sendo reformada e uma parceria com o chef patissier Christophe Michalak foi assinada para comercializarem sobremesas nos restaurantes (doces em forma de hambúrguer, naturalmente).



E não para por aí, como bons hipsters, os donos já até lançaram um aplicativo para smartphones inspirado na hamburgueria. Disponível para iPhone e para Android, o jogo tem como objetivo completar tarefas no tempo exigido pelo Big Fernand e, em 3 semanas, o simpático app (que lembra um pouco um jogo de Atari) já teve mais de 100 mil downloads. Nada mal para um negócio que tem menos de um ano e meio!

Big Fernand
55 Rue du Faubourg Poissonnière
75009 Paris
Tel: +33 1 47 70 54 72

terça-feira, 14 de maio de 2013

As várias faces do Rio Sena

Publicado hoje, n'O Globo.



A prefeitura de Paris lançou, em parceria com a Maison Européenne de la Photographie e a Olympus,  um concurso que teve o Rio Sena em foco, literalmente. Entre os dias 12 de abril e 12 de maio, fotógrafos (amadores e profissionais) enviaram seus cliques e foram aceitas todas as fotos que obedecessem a única regra do concurso: colocar o rio mais importante da França como personagem principal.

Hoje, depois de uma avaliação feita por uma equipe de especialistas, foram publicadas as fotos vencedoras do concurso. As 27 selecionadas (com vistas incríveis de Paris) serão expostas em frente à Mairie do quarto arrondissement e espalhadas pelas margens da rive gauche, entre Pont de l'Alma et Pont de la Concorde. Confiram algumas delas:







 

segunda-feira, 13 de maio de 2013

As simpáticas bolas coloridas de Montmartre

Publicado n'O Globo.



Em 2003, o casal de franceses Sophie e Stéphane se conheceram e decidiram fazer uma viagem de férias à Tailândia. Lá, eles conheceram Atthakrit, um tailandês que fabrica manualmente bolas coloridas para decoração. Daí nasceu a história de um negócio de sucesso: a simpática La Case de Cousin Paul.

De retorno a Paris, o casal abriu a sua primeira loja em Paris, aos pés da Sacre Coeur de Montmartre e começou a confeccionar as bolas coloridas com uma diferença essencial: as bolas deles tinham pequenas lâmpadas no interior dando um ar mais sofisticado e trazendo a proposta de guirlandas iluminadas que podem ser usadas como pequenas luminárias para criar um ambiente intimista e simpático dentro de casa.



O sucesso foi tão grande que o casal já possui diversas lojas e pontos de venda ao redor do mundo, inclusive no Brasil. A fabricação das peças continua baseada na Tailândia, onde os franceses mantêm uma fábrica que preserva a essência original deste produto tão delicado. Na loja da Sacre Coeur, elas ficam dispostas em vários tubos de plástico, em diversas cores e tamanhos. O lugar faz a gente se perder lá dentro sem conseguir escolher e, certamente, vale uma visita.

La Case de Cousin Paul
4-6 Rue Tardieu
75018 Paris
Tel: +33 1 55 79 19 41

Era uma vez...Chanel

Publicado n'O Globo.




O estilista Karl Lagerfeld, responsável pelas criações da marca Chanel desde 1983, realizou um curta metragem para comemorar os 100 anos da maison da qual faz parte e relembrar o início da carreira da mulher que revolucionou a moda e mudou a maneira de vestir das mulheres do mundo inteiro para sempre.

Como já tinha sido noticiado aqui, a atriz escolhida para interpretar mademoiselle Chanel foi Keira Knightley, embaixadora da marca francesa desde 2006. O curta, de 13 minutos, remonta a época em que Coco abriu a sua primeira loja em Deauville, norte da França, e ainda era uma designer de chapéus sustentada pelo seu amante, o playboy inglês Boy Capel (cuja morte, supostamente, inspirou a criação do perfume Chanel N°5, como eu contei aqui).

O filme é esteticamente muito bonito, com o figurino, obviamente, impecável. Ele perde, no entanto, pelas atuações pouco naturais e pela simploriedade do roteiro, que falha em mostrar a essência desta época - em que os hábitos estavam mudando com tanta intensidade - que produziu e possibilitou a existência de uma grande personalidade como Gabrielle Chanel.

No final, a impressão que se dá é que tudo foi um desfile de moda em forma de cinema, com algumas informações importantes sobre a personagem principal jogadas sem muito aprofundamento. Mesmo assim, vale ser assistido pela composição geral: música linda, fotografia incrível e imagens belas cheias das peças de roupas mais bem cortadas e perfeitas que se pode exigir.

O filme foi mostrado pela primeira vez no último dia 08, em Singapura, e é falado em inglês, ainda sem legendas em português.


sábado, 11 de maio de 2013

A melhor baguette de Paris

Publicado hoje n'O Globo.



Todo ano, durante o mês de abril, um júri composto por especialistas e amadores se reune em torno de uma mesa cheia de baguettes para decidir o prêmio de melhor pão de Paris. Morando aqui há mais de 8 meses, eu posso facilmente dizer: o assunto é da mais alta importância para os franceses e a competição é conduzida com muitos padrões e os produtos devem obedecer regras ultra restritas, como, por exemplo, medir 55 e 65 cm, pesar entre 250 e 300 gramas e ter um nível de sal de 18 gramas para cada quilo de farinha. O julgamento, portanto, deve ser feito com a mais alta idoneidade e seriedade.



Este ano, após degustar nada menos que 151 baguettes, os jurados chegaram a uma conclusão um tanto quanto surpreendente: o melhor pão de Paris é feito por Ridha Khadher, um tunisiano erradicado na capital francesa há 15 anos. Khadher, que possui uma boulangerie no décimo quarto arrondissement, quase não acreditou quando recebeu a boa notícia e, segundo ele, é uma honra enorme ter sua receita reconhecida desta maneira, depois de 24 anos trabalhando na arte de fazer pães.

Veja abaixo o mapa com as 10 melhores baguettes de Paris escolhidas pelo juri de 2013.



View Les 10 finalistes du Grand Prix de la Baguette 2013 in a larger map

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Uma vista impressionante de Paris

Publicado n'O Globo. Recomendo DEMAIS.



Paris, algumas vezes, reserva umas surpresas para quem mora aqui. De repente, você sobe uma rua e dá de cara com uma boulevard bonita, ou vira uma esquina e vê a Torre Eiffel, são coisas que acontecem no cotidiano de um parisiense e a maioria deles (mesmo os mais veteranos) não passa blasé por estas pequenas pérolas espalhadas pela cidade. Eu tive a sorte de ter uma destas surpresas quando cheguei, anteontem, para uma visita a um hotel no alto de Montmartre.



O dia estava ensolarado e ideal para um passeio pela rua e, mesmo tendo buscado este endereço justamente porque eu já imaginava há muito tempo que ele deveria ter uma vista sensacional, certamente não estava preparada para o que eu estava prestes a ver quando cheguei no Terrass Hotel. Trata-se de um prédio com 8 andares localizado bem no alto de Montmartre, entre as estações de Blanche e Abbesses, pertinho da Sacre-Coeur. O sétimo andar conta com terraço com um bar e uma sala de conferências, que pode ser alugada para encontros empresariais ou eventos de toda sorte.

É de tirar o ar o que se enxerga do alto do Terrass Hotel e as palavras falham para descrever o esplendor lá de cima. A beleza é tão grande que chega a deixar a gente em um estado de hipnose, sem muita reação para o que está acontecendo em volta e sem querer desviar os olhos da vista por um segundo, com medo dela desaparecer se você parar de olhar.



O último andar possui mais 3 quartos, sendo um deles chamado "Suite Paris" e, por 450 euros a diária, você usufrui de uma das melhores vistas da cidade. O quarto não é muito grande, mas é confortável, e ali o que vocês está pagando é realmente pelo privilégio de acordar com a Torre Eiffel na sua frente. Se você não tiver o dinheiro para pagar uma diária lá, recomendo ainda assim que vá ao bar do terraço (que é aberto ao público), nem que seja para tomar um único drink tendo, literalmente, a Cidade-Luz inteira aos seus pés.

Terrass Hotel
12 Rue Joseph de Maistre
75018 Paris
Tel.: +33 1 46 06 72 85
Preço da diária: entre 160 e 450 euros
Preço médio dos drinks: 17 euros.
Recomendação: Ligue para reservar se quiser ficar nas melhores mesas do bar!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Curso de culinária gratuito em Paris

Publicado n'O Globo.



De maio até outubro serão oferecidos, nos mercados de Paris em todos os arrondissements, cursos de culinária gratuitos. A iniciativa é da prefeitura de Paris em parceria a FFCA (Fédération Française de Cuisine Amateur). Além de ensinar como cortar os alimentos, como cebolas e cenouras, o curso ensina também a não desperdiçar alimentos, reutilizar os restos e também fazer pratos mais elaborados.

Para participar, basta acessar o site da FFCA e escolher qual o mercado que você deseja fazer o curso. São, ao todo, 20 mercados de bairro participantes espalhados pela cidade toda. O arrondissements que não contarão com o evento são o 3, 7, 8 e 19. A cada semana, os mercados oferecem um curso com um tema diferente e, entre os domínios escolhidos estão delícias como "Saladas compostas", "Cozinhando com frutas" e "Brunch".



Cours de cuisine, gratuits, sur les marchés par mairiedeparis

A Noite dos Museus

Publicado n'O Globo.



Todo ano, desde 2004, acontece, durante o mês de maio, a Noite Européia dos Museus. No mesmo dia, de Londres a Istambul, diversos museus em grandes (e pequenas também) cidades da Europa, ficam abertos até altas horas da madrugada e quase todos eles tem entrada gratuita.

Naturalmente, Paris faz parte da lista das cidade participantes e é uma ótima oportunidade para sair pela noite afora visitando vários dos templos da arte que existem aqui. As filas são grandes, é verdade, mas o evento vale a pena pela energia que ele deixa na cidade. A partir de 18h, várias pessoas já começam a se amontoar nas entradas dos museus da cidade e a idéia é sair pipocando de museu em museu. Além disso, o evento realiza shows, projeções, espetáculos e atividades especiais.

A diferença deste evento para os primeiros domingos do mês (quando vários museus de Paris têm entrada gratuita) é que, além de ser noturno, ele ainda permite que você visite as exposições temporárias que estão sendo mostradas na cidade. Na lista dos mais de 150 participantes na Cidade-Luz aparecem todos os grandes estabelecimentos, mas também os museus menores e até algumas galerias. Anote na agenda, este ano, a Noite dos Museus acontece no dia 18 de maio.
www.nuitdesmusees.culture.fr

domingo, 5 de maio de 2013

Um mapa de locações de filmes e outras coisas em Paris

Você já se perguntou onde ficam as escadarias que o personagem Gil, do filme "Meia-noite em Paris", espera todas as noites pelo carro que vai levá-lo de volta ao tempo? Ou onde fica o Café que Amélie Poulain trabalhava em Paris? Ou até mesmo onde o compositor Serge Gainsbourg morou a maior parte de sua vida? Ou onde Édith Piaf, Oscar Wilde e Jim Morrison estão enterrados?

Pois é, para comemorar os 5 anos do Sob o céu de Paris (sim! cinco anos!), eu preparei um mapa com todas estas informações e mais algumas outras para você, que quer olhar e conhecer Paris de um jeito diferente. Para entender todos os pontos abaixo, basta clicar no mapa e ir explorando cada marcação. Cada ponto tem uma legenda explicando direitinho o porquê dele estar ali. Ah, e sugestões de vocês são MAIS do que bem-vindas. Tem algum ponto importante que eu esqueci de colocar? Me manda um email: penelope@soboceudeparis.com


View Sob o céu de Paris - www.soboceudeparis.com in a larger map

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Onde fazer pique-nique em Paris

Clique aqui para ler o original n'O Globo.





O excelente site "Que faire à Paris", criado pela prefeitura com o objetivo de informar os parisienses sobre a efervescente (e difícil de acompanhar!) agenda cultural da cidade, fez uma lista dos melhores parques e gramados para se fazer um pique-nique na Cidade-Luz. Em segundo lugar nesta lista está o Buttes Chaumont, meu parque preferido em Paris, do qualjá falei aqui antes (é lá que fica o Rosa Bonheur, o hypado bar gay/hetero de que falei aqui semana passada).

A lista ainda conta com os escondidos Parque Monceau e André-Citroën, além de falar dos óbvios la Vilette et Champs de Mars. E o melhor é que ela não para pelos parques: as dicas mostram também onde ir se você quiser fazer um pique-nique em frente ao rio ou em algum dos canais parisienses, como o charmoso Canal Saint-Martin, por exemplo. A lista está em francês, mas, com um pouquinho de esforço, se entende as informações essenciais. Veja abaixo o mapa que o Que faire à Paris montou para ajudar a localizar todas as dicas.


View Où pique-niquer à Paris in a larger map

Paris: Aqui bate um coração

O movimento que começou em São Paulo chega em Paris. Eu tive a honra de presenciar alguns destes momentos. Aguardem porque, em breve, terá um vídeo!

Clique aqui para ler o orginal n'O Globo.





O projeto de intervenção urbana que encantou São Paulo em março de 2012 finalmente chegou em Paris. Criado informalmente com a intenção de aproveitar a cidade e transformar a relação dos habitantes com os grandes centros urbanos, um grupo na capital paulista inventou o movimento "Aqui bate um coração". A idéia é simples (e, por isso mesmo, incrível): durante a noite um grupo sai pelas ruas colando corações de isopor nas estátuas da cidade. O singelo gesto foi tão bem recebido que logo os habitantes de outras cidades ao redor do Brasil e do mundo começaram a tomar a iniciativa e fazer a mesma coisa. Incentivados pelo grupo de criadores, pessoas mais de 40 cidades já se reuniram para colar corações em estátuas. Lugares como Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Londres, Barcelona, Lisboa, Guadalajara, Montevidéu já estão na lista do "Aqui bate um coração".



Nesta madrugada, a vez foi da Cidade-Luz. Paris hoje acordou com um toque mais colorido: estátuas espalhadas por vários bairros apareceram com o mesmo coração vermelho do movimento que começou no Brasil. Encontrados em diversos pontos da cidade, o simpáticos lembretes de isopor pairavam tranquilos nas estátuas atraindo atenção, sorrisos, fotos e olhares. Aqui em Paris, realmente, bate um coração.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...