segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Chanson de Lundi

Tem dias que a gente acorda de mau humor e o melhor remédio, na minha opnião, é escutar uma música cheia de boas energias. Quando é assim, gosto de procurar um vídeo com a imagem do próprio artista cantando, para as energias serem transmitidas melhor.

Foi o que eu fiz hoje, quando acordei às 05h50 no pior humor do universo!



Boa semana!

sábado, 25 de agosto de 2012

Conheça Anaïs

(Publicado hoje, no Conexão Paris.)

A primeira vez que eu ouvi falar na Anaïs foi por volta de 2008, quando ela tinha lançado seu segundo disco, o The Love Album. Logo me apaixonei pela canção Si j'avais su que notre amour e não conseguia parar de ouvir. O jeito engraçado da moça e sua voz doce me deixaram totalmente encantada por ela.



Logo descobri que a cantora, além de ser super carismática e talentosa, tem também um quê de atriz e tem uma veia cômica pulsante. Em seus shows, ela costuma fazer imitações de cantoras como Carla Bruni, como vocês podem ver no vídeo abaixo, onde ela faz um cover de Quelqu'un m'a dit, incarnando uma Carla bêbada:



Este ano, Anaïs lançou o disco L'eau de Javel, onde ela canta clássicos franceses da década de 30, 40 e 50. O primeiro single lançado do disco foi a canção Danseuse Privée e, no vídeo de divulgação - que conta com a participação do músico André Manoukian - ela faz um dueto inusitado (e engraçadíssimo) da lenda dos cabarés Mistinguett com Tina Turner, interpretando lindamente estas duas grandes damas da música mundial.





quinta-feira, 23 de agosto de 2012

O single novíssimo de Benjamin Biolay

Saiu hoje o primeiro single do próximo disco do nosso amado Benjamin Biolay (parece até que ele está me pagando alguma coisa, já que, esta semana, só teve post sobre ele aqui no blog, mas juro que não estou recebendo nem um centavo!).

Aime mon amour faz parte do disco Vengeance, que sairá no dia 05 de novembro deste ano e conta com a colaboração de outros queridos aqui do blog, como Julia Stone e Vanessa Paradis.



Eu já tinha até comentado lá no Facebook do Sob o céu de Paris que Biolay estava preparando o novo álbum, e até postei alguns dos teasers que ele publicou em sua Fan Page oficial.


terça-feira, 21 de agosto de 2012

Chanson de Lundi

Acho que, pela primeira vez desde a estréia do "Chanson de Lundi", eu pulei um ontem. Para compensar a falta (estava trabalhando igual uma louca e longe do computador, me perdoem), posto hoje duas músicas (incríveis) em duas versões para alegrar a semana de todos.

O primeiro vídeo mostra um medley de Benjamin Biolay que mistura Ça valait la peine, música deliciosa que ele compôs para a irmã Coralie Clément, e Le chien d'avant garde, que apareceu no disco La disparition, de Keren Ann.





Chien d'Avant Garde by Keren Ann on Grooveshark

domingo, 19 de agosto de 2012

J'suis Snob, com Benjamin Biolay

Eu AMO quando alguém que eu adoro faz um bom cover de uma música que eu já gostava. É como misturar duas coisas deliciosas e jogar no liquidificador, tipo milkshake de Nutella.

Por isso, eu fiquei encantada quando encontrei, hoje pela manhã, uma versão que Benjamin Biolay fez de J'suis snob, do Boris Vian. A original de Vian, que já era incrível, tomou outra dimensão na voz *suspiros* de Biolay. Puro amor, escutem aí:




sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Coletâneas de música francesa

(Este post foi originalmente publicado ano passado e re-editado esta semana para ser postado lá no Conexão Paris.)

Discotecando outro dia em uma festa, um dos convidados me pediu indicação de uma boa coletânea de música francesa. Por ser muito rica e variada, a chanson française possui inúmeras coletâneas lançadas pelos mais diversos selos, e podem ir de muito brega (ou cheias daqueles clichês franceses que aparecem em todos os filmes de Hollywood) a incrivelmente interessantes.

Café de Flore

Dentro desta segunda categoria, a primeira que me vem à cabeça é uma que foi uma lançada em 2003 pelo famoso Café de Flore de Paris. Além de recheada de pérolas do melhor da música do mundo, o disco ainda te transporta imediatamente para os tempos gloriosos deste grande Café de Paris.



Putumayo

Outra muito boa é a coletânea do Putumayo. Este selo americano é especializado em fazer compilações de músicas do mundo inteiro e já lançou discos ótimos de músicas dos mais variados países.

Foi graças à coletânea entitulada de "French Café" que eu descobri o Sanseverino.

Além dela, a Putumayo também tem outra chamada simplesmente de "Paris" que tem canções da nouvelle scène française.

Something's gotta give

O filme "Something's gotta give" (em português "Alguém tem que ceder") tem uma trilha sonora incrível que poderia muito bem ser uma coletânea de músicas francesas.

A personagem de Diane Keaton é uma apaixonada por Paris e pela cultura francesa e a trilha do filme reflete esta paixão. Coralie Clément, a irmã de Benjamin Biolay, aparece duas vezes na seleção e, durante o filme, ainda podemos ouvir outras músicas lindas que não entraram no disco, como "Boum!", de Charles Trenet e "Fibre de Verre", do Paris Combo.



Sob o céu de Paris

E se eu fosse convidada a fazer a minha própria coletânea? Bom, eu escolheria as seguintes faixas:

1.Marilou sous la neige - Serge Gainsboug
2. Belinda - Claude François
3. L'amoureuse - Carla Bruni
4. Déjà Toi -Vincent Delerm
5. Puisque vous partez en voyage - Françoise Hardy avec Jacques Dutronc
6. J'suis pas d'ici - Thomas Dutronc
7. Les roses et les promesses - Benjamin Biolay
8. Capri - Berry
9. In the mood for l'amour - Claire Denamur
10. Les enfants du Pirée - Dominique A
11. Si j'avais su que notre amour - Anaïs
12. Nous - Alexis HK
13. S.S. in Uruguay - Julien Doré
14. Dis-lui oui - Bénabar
15. La vie ne vaut rien - Alain Souchon



Bom fim de semana a todos!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Festival Varilux de Cinema Francês

Começa, na próxima quarta-feira, mais uma edição do Festival Varilux de Cinema Francês. Este ano, o Festival estará presente em quase 30 cidades do Brasil (veja o mapa aí do lado) e apresenta uma boa variedade de filmes para todos os gostos e idades. Entre eles, está o tão aguardado Cloclo, do qual eu já falei mais de uma vez aqui no blog.

Outro que parece interessante é o Paris-Manhattan, que conta com a atuação de Patrick Bruel e fala sobre uma jovem obcecada pelo Woody Allen.

E para aqueles que, como eu, não estão se aguentando pra ver Cloclo, veja de novo o trailer do filme, pra ajudar na ansiedade!


Chanson de Lundi

A música desta segunda-feira é a versão francesa do grande sucesso Downtown, de Petula Clark, cantado pela própria.



Boa semana!

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O iê-iê-iê francês

(Publicado hoje, no Conexão Paris.)

Assim como no Brasil, a década de 60 na França também sofreu uma grande influência da música americana. Na época, pipocavam por todos os lados cantores fazendo versões francesas do rock inocente lançado pelas bandas formadas por adolescentes norte-americanos.

Mesmo tendo a fama de serem mais fechados e de não se deixarem influenciar tanto pela cultura dos Estados Unidos, a França não conseguiu passar incólume ao fervor do início do rock'n'roll e teve o que eu chamo de "uma versão francesa da Jovem Guarda". Um casal que ficou muito conhecido na época foi Johnny Hallyday e Sylvie Vartan. Praticamente a realeza da juventude que venerava os ídolos do rock americano, eles eram uma espécie de Roberto Carlos e Wanderléa e Hallyday, inclusive, chegou a ganhar o apelido de Elvis Presley francês.

Selecionei abaixo alguns dos meus covers favoritos desta época.











quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Joyeux anniversaire

O aniversariante desta semana é o cantor e compositor Marc Lavoine, que completou no último dia 06, 50 anos de idade.

Eu nem sou muito fã dele, mas gosto MUITO do seu primeiro grande hit, a música Elle a les yeux revolver, lançado em 1985.


terça-feira, 7 de agosto de 2012

Benjamin Biolay e Marilyn Monroe

Quem nunca passou debaixo de uma ventilação de metrô e esperou passar aquele ventinho pra levantar a saia? Pois eu já. E sempre acho graça, mesmo que lutando desesperadamente para esconder as vergonhas - e, muitas vezes, a depilação vencida - do mundo que parece não conseguir apreciar mais a sutileza do erotismo discreto.

Domingo passado fez 50 anos que o mundo perdeu a rainha da sensualidade dos meados do século XX. Ela era linda, engraçada, inteligente, insegura e, vamos admitir, meio louca, mas ninguém jamais foi como Marilyn Monroe.

Ela inspirou gerações com os seus cabelos, roupas provocantes, poses e trejeitos, e foi copiada, imitada, homenageada e referenciada à exaustão. É natural, portanto, que a música pop tivesse falado dela, e o Le Figaro até listou algumas das canções inspiradas por Monroe ao longo das últimas décadas.

A lista é interessante, mas achei curioso que o Figaro tenha esquecido a homenagem francesa mais bonita dos últimos 10 anos e decidi fazer justiça aqui.

O primeiro disco de Benjamin Biolay, chamado Rose Kennedy - um álbum que trada da família do ex-presidente JFK -, fala repetidas vezes de Marylin, utiliza samples da voz dela em algumas músicas, usa um pedaço de River of no Return em Les cerfs volants, e o videoclipe de Les Roses e les Promesses até simula uma cena de um quarto parisiense no dia da morte da diva.





Li aqui que os samples da voz de Marilyn foram tirados do mais que excelente Quanto mais quente melhor, de Billy Wilder. Recomendo fortemente este filme. Tirando os óbvios, recomendo também How to marry a millionaire com a extraordinária Lauren Bacall (não sei o nome em português, quem souber, por favor, comente!)* e, claro, o Adorável Pecadora, filme com Yves Montand.

*Segundo o Vinicius, que comentou aqui embaixo, o nome do filme em português é "Como agarrar um milionário".

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Chanson de Lundi

Tem coisa melhor do que começar a semana com o bom humor do Joe Dassin?




Boa semana a todos!


domingo, 5 de agosto de 2012

Aplicativo para rádio francesa

Meu melhor amigo, que mora em Paris há mais de 5 anos, me apresentou para uma rádio francesa que, na minha opinião, tem a melhor programação que eu já ouvi por lá.

Eu adoro ouvir rádio e sempre procuro ouvir as estações francesas quando vou pra lá, mas A FIP foi, até hoje a que mais me agradou. Daí eu estava hoje à toa na vida fuçando os aplicativos da App Store e encontrei um que é justamente desta rádio que eu gosto tanto e, claro, de graça. Eu recomendo!


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

As 10 melhores músicas para aprender francês (Parte 02)

(Publicado hoje, no Conexão Paris.)

Alguns meses atrás, escrevi um post lá no Sob o céu de Paris listando as dez melhores músicas para aprender francês e as dicas fizeram tanto sucesso que decidi fazer uma parte 02, afinal, aprender francês com música é muito mais agradável e o número de músicas que podem ajudar um estudante da língua de Baudelaire é muito maior que 10.

Desnecessário dizer que as músicas escolhidas são as que mais me ajudaram a aprender, e não necessariamente são as melhores. São elas (em ordem de facilidade):

1. Ces mots stupides, esta versão de Something Stupid (popularizada por Frank e Nancy Sinatra) feita pelo casal Albin de la Simone e Jeanne Cherhal, é super simples de entender. Lembro de ouvi-la pela primeira vez e compreender metade da música sem precisar recorrer ao Google. Tudo bem que não é exatamente a letra mais profunda do mundo, mas ajuda bem os iniciantes.



2. Capri, de Hervé Vilard. A versão da Berry é ainda mais clara, mas este videoclipe me levou a escolher a original para postar aqui.



3. Votre fille a vingt ans: a versão do grego Georges Moustaki é mais clara e, na minha opinião, mais bonita. A letra é um primor de beleza. Me ensinou o verso "vous aviez embelli" que, por si só, já vale a música toda.



4. C'est si bon, cantada pelo Yves Montand.



5. Quand on n'a que l'amour, de Jacques Brel. Esta, além de um aula de francês, é também uma aula de amor.



6. Elisa, de Serge Gainsbourg. Esta me ajudou a decorar palavras simples, como dedos, unhas, cabelos e...bom, piolhos!



7. Tous les visages de l'amour, de Charles Aznavour. Eu não sei se é porque conheci a versão de Elvis Costello primeiro e a letra em inglês é muito parecida com a original, mas quando ouvi esta música em francês pela primeira vez, entendi imediatamente quase tudo que estava sendo dito.



8. C'est beau la vie. Esta foi super importante pra me fazer gravar esta regra (louca!) que diz que o adjetivo tem que concordar com o pronome Ce quando está na frente do substantivo. Parafraseando Obélix, "ils sont fous, ces Gaulois!".



9. Pénélope, de Georges Brassens. Vocês vão achar que é auto-promoção, mas juro que não é. Brassens não é para qualquer um e muito menos para um iniciante, mas tem um verso que diz "en attendant l'retour d'un Ulysse de banlieue" que me fez nunca mais esquecer o sentido da palavra banlieue.



A lista é para ter 10, mas vou deixar a última para vocês sugerirem e eu poder fazer mais um post desta série!

Bom fim de semana a todos.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Joyeux Anniversaire

E o aniversário desta semana não é um francês, mas um americanos muito ternurinha.

Louis Armstrong nasceu no dia 04 de agosto de 1901 e gravou, entre outras coisas incríveis, uma versão linda de La vie en rose e outra super simpática de C'est si bon.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...