sexta-feira, 6 de julho de 2012

Francesas que cantam em inglês

(Post publicado hoje, no Conexão Paris.)

A França produz muita música. Muita. Entre os vários artistas lançados a cada ano, há uma boa leva deles que opta por cantar em inglês e que fogem um pouco do estilo chanson française. Sem falar nos grupos de rock e de música eletrônica que, na verdade, assim como os brasileiros, são tão universais que poderiam vir de qualquer parte do mundo (como Phoenix, Air, etc.).

Tenho notado, no entanto, uma geração de jovens moças que têm suas carreiras quase sempre empulsionadas pela internet e pelas redes sociais, e que quase sempre cantam em inglês. É o caso da Soko, da Loheem e da Ladylike Lily.

SOKO

A primeira é, sem dúvida, a mais conhecida. Embora tenha lançado seu primeiro disco este ano, a sua carreira de sucesso começou em 2007, quando ela tinha apenas 19 anos.



LOHEEM

Esta ainda nem disco tem, mas um de seus singles, o Colorfield, já foi escolhido para propaganda de TV do Mercúrio Chromo. A moça é muito ativa no Facebook e seus vídeos já ultrapassam a marca de 100 mil visualizações.

Ela já até deu entrevista exclusiva lá pro Sob o céu de Paris, clica aqui para ler.



LADYLIKE LILY

Depois de lançar um EP em 2011 que lhe render participações em festivais como o Le Printemps e Burges e Les Vieilles Charrues, Ladylike lançou este ano o seu primeiro álbum, o Get your soul washed.



------------------------------

Teve muita gente perguntando onde encontrar a música do filme que eu fiz de Paris e que postei aqui semana passada. Eu gosto de usar a iTunes Store para comprar música, porque acho mais prático. Se você tiver uma conta lá, é só clicar aqui e procurar a música Paris la nuit na lista do disco. Procurei em outras lojas de música brasileiras, mas não achei.

Mas atenção, os preços da iTunes Store são em DÓLAR, e você vai pagar IOF! Tudo bem que é pouquinho - afinal, a música custa US$ 0,99 - mas é sempre bom saber disso, para evitar surpresas desagradáveis no cartão de crédito. A primeira vez que comprei, fiquei indignada, já que a iTunes Store brasileira não informa a moeda e só indica um cifrão na frente do valor.

4 comentários:

  1. Oi, Gabriela! Primeiro gostaria de te parabenizar pelo blog, que é ótimo! Por sugestão de uma amiga, Viviane Ramos, comecei a seguir seu blog há uns dois meses. Queria te perguntar uma coisa: você não acha que tem tido muita padronização com as cantoras dessa nouvelle scène française? Não sei, mas me parece que a Carla Bruni fez escola! Vejo várias cantando sussurrado e com o mesmo tom de voz, como Carla Bruni, Rose, Émilie Simon, Emily Loizeau, Pauline Croze, essas que você colocou cantando em inglês, que eu não conhecia. Não digo que seja ruim, algumas delas eu gosto muito, mas só vejo como bastante originais a Zaz e a Camille. É tipo bandas de rock, que depois do indie não saem mais do estilinho Franz Ferdinand e Strokes. O que acha? Um abraço! Daniel.

    ResponderExcluir
  2. Daniel, é verdade que tem muitas meninas que soam parecidas. Mas não acho que isso seja exclusividade da chanson française e nem mesmo do nosso tempo. Na década de 60 mesmo, o que mais vimos foram grupos que tinham sons muito parecidos uns com os outros. Acho que é um processo natural.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...