segunda-feira, 30 de julho de 2012

Chanson de Lundi

Bom, e já que amanhã é aniversário do Vincent Delerm, achei que era justo escolher uma música dele para ser a canção desta segunda-feira. O cantor completa 36 anos e abaixo está uma das minha favoritas dele.




Bonjour

Acordei hoje com essa lindeza na cabeça. Nada mal para começar o dia.



E tem essa versão do BB.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Aquela música de Motel

(Publicado hoje, no Conexão Paris.)

Nem todo mundo conhece Serge Gainsbourg ou suas músicas, mas, sempre que eu cantarolo um pedaço de Je t'aime...moi non plus, a reação é a mesma: "ah, sim, aquela música de motel!". Eu realmente não sei se essa música tocava muito em rádios de motel antigamente, ou se foi usada em alguma propaganda, só sei que ela é conhecida assim para a maioria das pessoas que não sabem quem foi Gainsbourg.

Ontem, em Paris, Madonna fez uma versão da polêmica canção. E eu nem preciso dizer que usar a palavra polêmica para descrever qualquer coisa relacionada à Rainha do Pop é redundância. Depois de ser ameaçada de processo pela ex-presidenciável Marine le Pen por associar a sua imagem à de Hitler e projetar uma imagem de Marine com uma suástica na testa, Madonna voltou a Paris com a turnê MDNA e fez uma versão (um tanto controversa) de Je t'aime...moi non plus. Durante o show, Madonna ainda reverenciou Édith Piaf e homenageou artistas franceses.



E Madonna, com o seu espírito rebelde, não poderia ter feito uma escolha melhor. Je t'aime...moi non plus mal tinha nascido e já gerava controvérsia. A canção, composta a pedido de Brigitte Bardot, foi inicialmente gravada em 1967 com vocais de Gainsbourg e da musa inspiradora, mas foi retirada das rádios um dia depois por conta de uma ameaça do então marido da BB, que ameaçou processar Gainsbourg. Ela só foi ser lançada novamente em 1969, em dueto com Jane Birkin, então companheira de Serge.





"Sans conteste le Vatican"

O sucesso da música no borbulhante final da década de 60 foi estrondoso e, naturalmente, devido ao altíssimo apelo sexual (ou melhor, sensual) desagradou ao Vaticano. Logo que o jornal católico (apostólico e romano!) L'Osservatore Romano a qualificou como obscena, a música foi proibida na Itália, para depois ser seguida pela Suécia e pela Espanha.

Segundo contam, Gainsbourg, sempre sarcástico, quando um jornalista perguntou qual era o melhor agente de publicidade, prontamente respondeu: "Sans conteste le Vatican".

Abaixo, algumas das várias versões existentes de Je t'aime...moi non plus.

A de Nick Cave com Anita Lane.



A dos Pet Shop Boys.



Pela primeira vez com duas mulheres cantando em dueto.



E uma paródia do ator comediante Bourvil.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Joyeux Anniversaire

A aniversariante da semana é Isabelle Aubret. Ela ficou famosa quando venceu, em 1962, o prestigiado concurso Eurovision.

A música que escolhi é Il N'y A Plus D'abonné Au Numéro Que Vous Avez Demandé, que aparece na excelente coletânea do Café de Flore.


La vie en rose, por Melody Gardot

Melody Gardot, a cantora americana mais francesa da atualidade, lançou, em seu último disco, uma versão do clássico La vie en rose, de Édith Piaf.

Gostei da versão, mas acho que gostei mais do vídeo. Entre estas americanas cantando La vie en rose, prefiro a versão que Madeleine Peyroux (outra americana afrancesada) lançou em 1996.



segunda-feira, 23 de julho de 2012

Chanson de Lundi

A música de hoje é uma das minhas favoritas de Gainsbourg. Encontrei este vídeo acidentalmente semana passada, no Youtube, e achei-o tão curioso que precisava postar aqui.



E, abaixo, uma versão mais recente desta música, cantada pelo lindo do Benjamin Biolay.



Boa semana a todos!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Salve Salvador!

(Publicado hoje, no Conexão Paris.)

O meu primeiro post aqui no Conexão Paris foi sobre o Henri Salvador e hoje, com muita alegria, volto a falar nele. Eu já tinha comentado aqui neste post que o Benjamin Biolay estava preparando um álbum com canções póstumas do cantor. O disco foi lançado no dia 18 do mês passado mas, até essa semana, não tinha tido tempo de ouvi-lo na íntegra e, por isso, não postei nada aqui.

Seguem abaixo algumas das minhas favoritas de Tant de temps, esta surpresa em forma de disco que Henri Salvador nos deixou de presente, mesmo tendo morrido há mais de cinco anos.





Abaixo, um dueto delicioso com Benjamin Biolay.



Henri Salvador é famoso por ter dito, em seu último concerto, a frase "Il faut savoir partir" e, depois de ouvir Tant de temps, penso que ele, mais que ninguém, soube mesmo partir. Ele teria completado 95 anos anteontem, dia 18 de julho.

Bom fim de semana a todos!

* O título deste post foi sugerido pela Liz Mayer, leitora do Sob o céu de Paris.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Joyeux Anniversaire!

O aniversariante desta semana é o grande (e adorado) Henri Salvador.

Se vivo, ele teria completado ontem, dia 18, 95 anos.

Como vocês sabem, mês passado saiu um álbum póstumo dele produzido por Benjamin Biolay. Quem quiser ouvir o disco na íntegra, é só clicar aqui.

Abaixo, um dueto dele com o BB.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Chanson de Lundi

Eu adoro a Shakira. Nem conheço as suas músicas direito e sei dar nome a, no máximo, 3 delas. Mas como personalidade, sou pura admiração. Ela é linda, inteligente, carismática, e fala 6 línguas. Como não adorar?

Ano passado, fez um cover de "Je l'aime a mourrir", de Francis Cabrel, e o DVD gravado em Bercy foi um sucesso de vendas. O vídeo da música ao vivo é tão lindo que de vez em quando me pego assistindo outra vez (e sempre penso que ela parece uma princesa da Disney com este vestido azul).



Boa semana a todos!




sexta-feira, 13 de julho de 2012

Allons enfants de la patrie!

(Publicado hoje, no Conexão Paris.)

As pessoas, sempre surpresas com o meu gosto pela chanson française, geralmente me pedem para citar a música mais conhecida da França, e eu sempre respondo o mesmo: a Marseillaise. É raro encontrar uma  pessoa adulta que nunca ouviu o hino nacional francês e, muitas vezes, mesmo sem saber o nome, as pessoas reconhecem imediatamente quando eu cantarolo a melodia.

Beatles

Certamente que a culpa pela popularidade desta canção não é inteiramente dos Beatles, mas o hino francês é, possivelmente, o hino mais conhecido do mundo, e a aparição dele na introdução de uma das músicas mais famosas de uma das bandas mais conhecidas da história, ajudou a disseminar a Marseillaise por aí. Li, aqui neste artigo super interessante, que o responsável por inserir a Marseillaise na introdução de All you need is love foi o famoso quinto Beatle, o produtor George Martin.

Aparentemente, a escolha foi meio ao acaso (se é que isso existe) e ele decidiu misturar a Marseillaise com uma melodia do Bach (alemão), mais "In the mood", de Glenn Miller (americano) e "Greensleeves", música folclórica inglesa supostamente composta por Henrique VIII, para criar a textura do pano de fundo de All you need is love. É claro que esta mistura de melodias de diferentes partes do planeta em uma canção que queria cantar a paz mundial não foi tão aleatória assim e, mesmo que inconscientemente, Martin estava colocando juntas as músicas que ele queria que representasse esta idéia de paz e amor.



Gainsbourg

Reza a lenda que, em 1979, Gainsbourg estava folheando a enciclopédia e caiu no artigo que falava da Marseillaise. Curioso, Serge decidiu explorar o texto e logo percebeu que, na transcrição do hino, lá pelo décimo verso, a enciclopédia sintetizou a letra imensa com um simples "aux armes et caetera".

Eu prefiro confiar mais na minha própria interpretação e acreditar que Gainsbourg, sempre muito rebelde e provavelmente um pouco cansado de seu próprio país, decidiu desafiar a ordem e tocar na coisa que ele sabia que seria a mais intocável: o hino nacional. O modo desdenhoso com que canta, o tom de deboche, e as imagens do vídeo oficial, me fazem acreditar que Gainsbourg estava tirando um bom sarro com aquela letra sangrenta e absurda - pelo menos para os dias de hoje - que é a da Marseillaise. E cantou "aux armes et caetera" como quem diz "às armas, e toda aquela bobajada".

Obviamente, uma versão reggae do hino nacional não iria agradar a gregos e troianos mas, embora Gainsbourg tenha sido chamado de todos os nomes após o lançamento da canção, os opositores não conseguiram impedir que o disco fosse um sucesso absoluto e se transformasse no primeiro Disco de Ouro da carreira do compositor.



Filmes

Outra grande aparição da Marseillaise é no clássico hollywoodiano Casablanca. A cena em que o personagem de Victor Laszlo manda tocar o hino francês para calar as vozes dos soldados alemães é emocionante e faz arrepiar cada pelo do meu corpo sempre que revejo. A força rebelde que o hino francês representa aliado às expressões tristes dos atores representando os expatriados nos transportam de maneira muito forte para o horror da Segunda Guerra.



Recentemente, o hino francês também foi incluído na cinebiografia de Édith Piaf em uma cena que ela, ainda menina, o canta na rua para conseguir dinheiro.



Django Reinhardt

E fecho este texto de comemoração à Queda da Bastilha com uma das minhas interpretações favoritas da Marseillaise, tocada no violão pelo gênio Django Reinhardt.



Bom 14 de julho a todos!

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Sobre os sonhos

Quando eu tinha uns 15 anos, foi um homem no colégio dar uma palestra. Estudei em escola técnica e, portanto, sempre vinha gente dar palestras e nem lembro qual era o tema desta específica.

Mas me lembro claramente de uma hora que o homem, se vira em frente a um grupo de mais ou menos 200 alunos entre 14 e 18 anos e diz que, na vida, para sermos felizes, o ideal é sonhar pequeno. Nem consigo descrever a indignação que tomou conta de mim na hora. A teoria do homem era que se a gente sonhasse com metade e conseguisse o dobro, seria sempre feliz e satisfeito.

Bom, eu não concordei com isso na época e continuo não concordando até hoje. Se eu tivesse ouvido este homem, nunca teria ao menos visitado Paris.

E é por isso mesmo que, quando postei o meu filme semana retrasada, coloquei a minha meta lá no alto. Queria ter 10 mil visualizações em uma semana. Não consegui, claro. 10 mil é muito. Mas consegui hoje, 13 dias depois, mais de 7500.

Ainda não são os 10 mil que eu queria em primeiro lugar, mas estou satisfeita com o resultado e agradeço a todos vocês que compartilharam, curtiram, assistiram e comentaram. Fico muito feliz de saber que um trabalho que eu fiz foi responsável por fazer mais de 7 mil pessoas sonharem. E sonharem alto, que é como os sonhos devem ser.

Vão aí, mais uma vez, as duas versões (a primeira do Youtube, que demora menos a carregar, e a segunda do Vimeo, que tem a qualidade melhor).




PARIS LA FETE from Gabriela Mudado on Vimeo.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Chanson de Lundi

O querido Barcella lançou hoje o primeiro videoclipe do disco novo, com a deliciosa canção Ma Douce e, claro, esta é a música desta segunda-feira.

Boa semana!

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Francesas que cantam em inglês

(Post publicado hoje, no Conexão Paris.)

A França produz muita música. Muita. Entre os vários artistas lançados a cada ano, há uma boa leva deles que opta por cantar em inglês e que fogem um pouco do estilo chanson française. Sem falar nos grupos de rock e de música eletrônica que, na verdade, assim como os brasileiros, são tão universais que poderiam vir de qualquer parte do mundo (como Phoenix, Air, etc.).

Tenho notado, no entanto, uma geração de jovens moças que têm suas carreiras quase sempre empulsionadas pela internet e pelas redes sociais, e que quase sempre cantam em inglês. É o caso da Soko, da Loheem e da Ladylike Lily.

SOKO

A primeira é, sem dúvida, a mais conhecida. Embora tenha lançado seu primeiro disco este ano, a sua carreira de sucesso começou em 2007, quando ela tinha apenas 19 anos.



LOHEEM

Esta ainda nem disco tem, mas um de seus singles, o Colorfield, já foi escolhido para propaganda de TV do Mercúrio Chromo. A moça é muito ativa no Facebook e seus vídeos já ultrapassam a marca de 100 mil visualizações.

Ela já até deu entrevista exclusiva lá pro Sob o céu de Paris, clica aqui para ler.



LADYLIKE LILY

Depois de lançar um EP em 2011 que lhe render participações em festivais como o Le Printemps e Burges e Les Vieilles Charrues, Ladylike lançou este ano o seu primeiro álbum, o Get your soul washed.



------------------------------

Teve muita gente perguntando onde encontrar a música do filme que eu fiz de Paris e que postei aqui semana passada. Eu gosto de usar a iTunes Store para comprar música, porque acho mais prático. Se você tiver uma conta lá, é só clicar aqui e procurar a música Paris la nuit na lista do disco. Procurei em outras lojas de música brasileiras, mas não achei.

Mas atenção, os preços da iTunes Store são em DÓLAR, e você vai pagar IOF! Tudo bem que é pouquinho - afinal, a música custa US$ 0,99 - mas é sempre bom saber disso, para evitar surpresas desagradáveis no cartão de crédito. A primeira vez que comprei, fiquei indignada, já que a iTunes Store brasileira não informa a moeda e só indica um cifrão na frente do valor.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Joyeux Anniversaire

Esta semana temos duas aniversariantes para homenagear.

A primeira é a canadense Isabelle Boulay (06 de julho), que lançou um ótimo disco no fim do ano passado, produzido pelo Benjamin Biolay.



A segunda é a atriz Ludivine Sagnier, nascida no dia 03 de julho, que, além de atuar, também canta e dá uma das vozes para esta delícia de música, da trilha do Les Chansons d'Amour.

Soko

Meu amigo Frederico Leal me falou ontem da cantora francesa Soko e eu, que tinha ouvido uma coisa ou outra da moça, decidi dar mais uma chance e escutar de novo. E fiquei super feliz de fazer isso.

Ela só canta em inglês, mas que delícia de músicas!

As minhas favoritas, até agora, são:





quarta-feira, 4 de julho de 2012

Freedom Fry

Eu adoro quando alguém faz um bom cover de uma música do Serge Gainsbourg, e já fiz até um post aqui listando algumas das melhores versões. Bonnie and Clyde nunca esteve entre as minhas favoritas, até ontem.

O duo Freedom Fry - formado por uma francesa e um americano - lançou no seu último EP, chamado Outlaw (dá pra comprar no iTunes, clicando aqui), uma versão desta música que ficou famosa em dueto de Serge com Brigitte Bardot. E eu adorei o cover! Escutem só que ótimo.



E, abaixo, a original:

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Chanson de Lundi

A cada vez que ouço o disco novo da Berry, descubro uma música favorita nova e vou gostando dele ainda mais.

Este fim de semana, não conseguia parar de ouvir Ce matin, uma música linda que é curtinha e faz a gente querer ouvir mais e mais.

E, como eu estou sorteando lá no Facebook do blog o disco da Berry autografado, é mais do que natural que a música desta semana seja dela. Quer ganhar o disco? Vai neste link, clica em "quero participar" e cruza os dedos!

Boa semana!

Ce Matin by Berry on Grooveshark

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...