Entrevista exclusiva com a Loheem!

março 19, 2012

Vocês lembram que eu tinha falado da Loheem aqui? Pois é, entrei em contato com ela, e ela topou dar uma entrevista esclusiva para o Sob o céu de Paris! Legal, né? Dá uma olhada na conversa que a gente teve.

Quer ouvir as músicas dela enquanto lê a entrevista? Passa lá no BandCamp da moça: http://loheem.bandcamp.com/


Sob o céu de Paris: Quando você aceitou dar esta entrevista, eu comecei a fazer pesquisa online sobre a sua vida, para que as perguntas ficassem mais interessantes, mas eu logo percebi que não tem muita informação sobre a sua biografia nem em inglês, e muito menos em português.
Então, a minha primeira pergunta é, na verdade, um pedido: apresente-se (onde você nasceu, quando, seu nome real e, mais importante, qual foi o seu primeiro contato com a música e quando decidiu se tornar uma musicista.

LOHEEM: Isso mesmo, não há muita informação sobre a minha vida privada na internet. Afinal, eu tento colocar a minha música em primeiro plano. Mas, para você, eu abro uma exceção :). Portanto, meu nome é Julie, eu nasci no sul da França, em Avignon. Eu me envolvi com música bem cedo, mas mais especialmente aos 16 anos, quando eu tive o meu primeir violão e e comecei a compor as minhas coisas.

Colorfield é o nome do primeiro single que você lançou e também o nome do seu EP. A música já é um hit e apareceu, inclusive, em um comercial do Mercurochrome. Fale dessa sua relação com as cores que parecem te inspirar tão bem.

Não existe uma relação especial com cores. Foi só um tema como outro qualquer. Eu normalmente escrevo as minhas letras de uma forma intuitiva. Esta canção conta muitas cores, mas não é só isso. Você entende melhor o que estou falando escutando a música!

Quais você nomearia como suas maiores influências na música francesa? E quais são suas bandas e artistas preferidos no geral? Você escuta música brasileira?

Tirando alguns clássicos de samba e bossa, eu não conheço muito de música brasileira, mas ficarei feliz de aprender um pouco mais. Eu escuto muita música inglesa, desde o pop ao rap, passando pelo rock e o eletrônico.

Quanto à música francesa, eu sou muito ligada aos clássicos como Jacques Brel, Barbara, Bashung...Eu também gosto dos artistas novos, como o Sebastien Tellier. Além disso, eu admiro muito artistas mulheres como a Feist e a Bjork, que são cantoras qeu tem controle absoluto do seu universo musical e também dos seus negócios.

Atualmente, eu tenho ouvido músicas velhas: Chet Baker, Miles Davis, Beatles!

Das quatro canções lançadas no seu EP, só uma é cantada em francês. Fale mais sobre esta escolha de cantar em inglês e se você tem planos de lançar músicas na sua língua mãe.

Eu escrevi Colorfield em inglês. Não porque soava melhor, mas porque veio mais natualmente. O título foi escolhido para o comercial, e começou assim. De qualquer forma, quando eu gravei o EP, eu tive vontade de fazer uma versão em francês qeu não tivesse nada a ver com a original em termos e ritmo e letra...Hoje, eu escrevo em inglês, mas também em francês, algumas vezes a música vem em duas versões diferentes. É um exercício divertido.

Você já tem data marcada para o lançamento do primeiro álbum?

Eu tenho planejado um novo EP com 5 ou 6 faixas para 2012...Talvez saia um álbum, quem sabe! Em todo caso, não tenho uma data ainda. Atualmente, eu continuo escrevendo. Estou prestes a filmar mais um vídeo e fazer mais sessões de fotos.

Posts relacionados

4 comentários