Melhores da década (por Bernardo Esteves)

dezembro 03, 2009

Por Bernardo Esteves


Bernardo é um amigo que conheci graças ao divertidíssimo (e já falecido) Música Potencial. Depois de nos conhecermos pessoalmente, descobri que ele viveu uma boa parte da vida na França e adora música francesa. Convidei-o, portanto, a elaborar uma lista com os melhores discos da música francesa da década de '00.

Eu gostaria de lembrar que este blog ficará felicíssimo de receber mais listas e as publicará de bom grado. É só mandar a sua lista para o email penelope@soboceudeparis.com

O Bernardo me enviou a lista dele com o seguinte prólogo:

"Listas desse tipo são tão divertidas de se fazer quanto temerárias. Esta é especialmente duvidosa, porque feita a partir de um universo um tanto restrito - falta-me conhecer muita coisa boa que se fez na música francesa desta década e de outras, e a prova é que estou sempre descobrindo coisas legais no seu programa. Aprovei e retomo a sua solução de fazer uma lista cronológica, pra fugir da encrenca de ter que classificar os discos."

Henri Salvador :: Chambre avec vue (2000)

O canto do cisne (ou quase) de um gigante da música francesa. Abriu a década em grande estilo.











Voz única, letras irônicas, grande revelação. Fico com o primeiro disco, o mais original. Saudade dos Voleurs de Poules!











A voz da minha geração: identificação total. É o melhor da década - Por "Fanny Ardant", "Tes parents", "Bukowski" e tantas outras.








E o repente chega ao Midi! Encontro muito original da música francesa e brasileira. Os Troubadours são do bem!










Álbum desigual. Entra pela dupla "Je fume pu d'shit" / "J'refume du shit", a coisa mais alucinante da década. Crônica da recaída.










Uma voz de menina nessa geração de cronistas melancólicos. Clima cool, belas melodias e sílabas sobrando.









Swing e melodia, soul e rap. Descoberta surpreendente do ano. O disco de estreia é poderoso, mas este é mais longo!










"Las Vegas" é a faixa da década (que Fanny não me ouça), mas esse disco tem mais conjunto. C'est grave comme c'est bien!










Delerm é o cara da década e merece um segundo disco na lista. Pra fantasiar com as volleyeuses de shortinho apertado.










Depois de discos mais apagados, Fersen voltou à grande forma dos anos 1990 com esse disco. Apesar do ukulelê!

Posts relacionados

0 comentários